Loading...
Loading...

segunda-feira, 20 de junho de 2011

ECONOMIA BAIANA - NA CORDA BAMBA

CIDADE DE SÃO SALVADOR  DA BAÍA DE TODOS OS SANTOS EM 16/05/2011



CAROS SENHORES


A REPORTAGEM APENAS RATIFICA A DESPROPORCIONALIDADE ENTRE OS RECURSOS FEDERAIS APLICADOS NA BAHIA EM RELAÇÃO À OUTRAS UNIDADES DA FEDERAÇÃO, ESPECIALMENTE O ESTADO DE PERNAMBUCO. É BOM FRISAR QUE À FRENTE DO GOVERNO BAIANO ESTÁ UM PARTIDO QUE É O MESMO QUE COMANDA O BRASIL. ESTA SITUAÇÃO SE ARRASTA HÁ MAIS DE UMA GESTÃO, ENQUANTO EM PERNANAMBUCO O PARTIDO POLÍTICO É OUTRO E O GOVERNADOR NÃO ERA AMIGO HISTÓRICO DO EX PRESIDENTE LUIS IGNÁCIO.

O ENIGMA SE APRESENTA QUANDO SE CONTABILIZA A SOMA E A QUALIDADE DOS RECURSOS PÚBLICOS APLICADOS NO COMPLEXO PORTUÁRIO E INDUSTRIAL DE SUAPE EM RELAÇÃO AO QUE SE INVESTE NOS PORTOS PÚBLICOS BAIANOS, NO COMPLEXO DE CAMAÇARI, NO METRÔ TUPINIQUIM, ETC. A PRODUÇÃO INDUSTRIAL BAIANA CAIU 9% NESTE TRIMESTRE QUANDO COMPARAMOS AO MESMO PERÍODO DO ANO ANTERIOR, PERNAMBUCO E RIO GRANDE DO SUL TIVERAM CRESCIMENTOS. ÍSSO É APENAS A PONTA DO ICEBERG QUE DELINEIA O ESVAZIAMENTO ECONÔMICO E POLÍTICO DA BAHIA.

EM CERTO MOMENTO DA HISTÓRIA, UM AUXILIAR DO GENERAL GOLBERY DO COUTO E SILVA, RELATOU AO MESMO QUE UM DOCUMENTO ASSINADO POR ELE ESTAVA INCORRETO E DESSE MODO  ERA LÓGICO EMITIR UM NOVO, O GENERAL DISSE, QUE NÃO ERA PRECISO POIS A MEMÓRIA DO BRASILEIRO NÃO PASSA DE 15 DIAS, SENHORES NÃO VAMOS, AQUI NA BAHIA VALER ESTA MÁXIMA, VAMOS HONRAR OS QUE DERRAMARAM SEU SANGUE HERÓICO NO “ 2 DE JULHO “.

 NÃO ESQUEÇAMOS O PASSADO E LEMBREM-SE QUE : A DOW QUÍMICA FECHOU DUAS UNIDADES EM SUA PLANTA INDUSTRIAL EM ARATU ; QUE FORAM PROMETIDOS 3 ESTALEIROS PARA A BAHIA, E ATÉ AGORA NÃO VI NENHUM, PERNAMBUCO TEM O MAIOR DO HEMISFÉRIO SUL E COM + DOIS DEFINIDOS PARA INSTALAREM EM SUAPE ; QUE O TERMINAL PESQUEIRO DA RIBEIRA, PROMETIDO EM GRANDE FESTA HÁ + DE 2 ANOS, HOJE SÓ EXISTE A PLACA; QUE PERDEMOS A FIAT PARA PENAMBUCO, O CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DA GM, PARA REGIÃO NORDESTE, PARA PERNAMBUCO, A PLANTA DE POLÍMERO VERDE DA BRASKEM PARA O RIO GRANDE DO SUL, IDEM PARA OS CDS DA SADIA E PERDIGÃO PARA PERNAMBUCO E ASSIM POR DIANTE;

A BAHIA É O PRINCIPAL EXPORTADOR DO NORDESTE, MAS PARA SE RESOLVER BUROCRACIA DE CÂMBIO, O EXPORTADOR TEM QUE IR PARA RECIFE; A BAHIA TEM O MAIOR  FLUXO TURÍSTICO DO NORDESTE, SEU AEROPORTO TEM UM MOVIMENTO DE PASSAGEIROS BEM SUPERIOR A RECIFE E TEMOS QUE TIRAR VISTO PARA TIO SAM EM TERRAS PERNAMBUCANAS, SITUAÇÃO VERGONHOSA; A FERROVIA TRANSNORDESTINA TERÁ RAMAL PARA PECÉM E SUAPE, MAS PARA ARATU NÃO, E OS POLÍTICOS DAQUI NADA FALAM, NADA BRADAM CONTRA ESTA SABOTAGEM DA ECONOMIA BAIANA, ISSO SIGNIFICA QUE AS RIQUEZAS DO OESTE DEVEM SER ESCOADAS POR PORTOS PERNAMBUCANOS E CEARENSES, PARA QUE NESSE MOMENTO PORTO SUL OU FERROVIA NOVA OU PONTE SALVADOR ITAPARICA, REFORME A FERROVIA JUAZEIRO SALVADOR, IMPLEMENTEM  A HIDROVIA NO SÃO FRANCISCO, TRAGA UM RAMAL DA TRANSNORDESTINA PARA A BAÍA DE ARATU.

O QUE VEJO COMO EMBLEMÁTICO É  A IMPRENSA LOCAL NÃO DISCERNIR SOBRE O ESVAZIAMENTO ECONÔMICO E POLÍTICO DO ESTADO, ANTES TÍNHAMOS POLÍTICOS BRIGANDO PELO ESTADO EM BRASÍLIA , TENTANDO ATRAIR VANTAGENS PARA O ESTADO. A IMPRESSÃO  É QUE, QUEREM DESMOBILIZAR TODAS AS CONQUISTAS QUE A BAHIA OBTEVE ATRAVÉS DE MUITA LUTA E CORAGEM, POIS ESSAS SÃO AS VIRTUDES DOS DESCENDENTES DO “ 2 DE JULHO “, COPEC, CARAÍBAS METAIS, FORD ETC.

PARA TERMINAR, NÃO ENTENDI QUAIS OS ELEMENTOS QUE O SENHOR CELESTINO TEM PARA COLOCAR EM DÚVIDAS A DRAGAGEM DOS PORTOS DE ARATU E SALVADOR, POR ISSO SE TORNA NECESSÁRIO UM NOTA DE ESCLARECIMENTO DA CODEBA, POIS DINHEIRO PÚBLICO FOI APLICADO E O APROFUNDAMENTO DO CALADO DOS NOSSOS PORTOS É ESSENCIAL PARA O FUTURO DA CIVILIZAÇÃO BAIANA, ASSIM COMO OS POLÍTICOS QUE TENHAM A BAHIA COMO PRIORIDADE E SEJAM COMBATIVOS CONTRA OS INTERESSES SULISTAS E PERNAMBUCANOS.



A BAHIA, PARA OS BAIANOS






JOSEMAR SOUZA SANTOS
 

A Bahia e seus portos do atraso

Todos os Santos é uma das maiores e melhores baías abrigadas do mundo. Mesmo com essa extraordinária vantagem natural, o Estado da Bahia está condenado a não ter o desenvolvimento industrial que merece, com todas as vantagens que apresenta, além da sua privilegiada posição geográfica no Atlântico Sul. Praticamente, é um divisor do litoral brasileiro, o que facilitaria, teoricamente, a circulação do que poderia produzir, na direção Norte-Nordeste e Sul-Sudeste.

O ministro dos Portos, Leônidas Cristino, do PSB do Ceará, está em Salvador. Veio verificar o que acontece com os portos baianos, especialmente a Codeba e o porto de Aratu, dois entraves à industrialização do Estado. Além de conviver com a corrupção, ou assim parece, na medida em que o governo federal investiu em Aratu nada menos de R$200 milhões (houve licitação, sim) para aprofundar o berço de atracação, de modo que pudesse receber navios com 15 metros de calado. A obra foi feita e, como sempre, errada. O dinheiro se perdeu na lama do fundo do atracadouro, criando problemas para o Pólo Petroquímico baiano e a capacidade de o governo atrair indústrias e grandes projetos para aqui gerar empregos e riquezas.

Enquanto tal acontece, Pernambuco acelera o seu poder de atração, com o porto de Suape e o retro-porto, onde se constrói a refinaria Faria Lima, aliás, também marcada por denúncias de corrupção. Para variar. O calado de Aratu que custou R$200 milhões e não conseguiu, por erro e falta de fiscalização federal, chegar aos 15 metros pretendidos. Navios grandes lá não aportam. Deve ser (presumo) o paraíso das catraias e bom lugar para pescarias. Já a Codeba, com um orçamento (do ano passado) de R$37 milhões, por incompetência de gestão só conseguiu investir R$250 mil.

Sem Aratu e com a Codeba entravada pela incompetência, os portos da Bahia viraram anedota. Costuma-se dizer que eles só são melhores do que os de Minas Gerais. Que, como se sabe, só conhece o mar por ouvir falar ou por fotografia, outra anedota que persegue os laboriosos mineiros. O governador Jaques Wagner anda a espernear. Algumas vezes estrilou em Brasília, daí porque o ministro dos Portos, Leônidas Cristino, se encontra hoje em Salvador. Se sua viagem terá conseqüência, é uma incógnita. Mas, se não tiver, a Bahia ficará sempre na retaguarda da política de atrair indústrias para se implantar no Estado. E o Pólo Petroquímico em desvantagem.

(Samuel Celestino)

Nenhum comentário:

Postar um comentário