Loading...
Loading...

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

BOA NOTÍCIA - PORTOS BAIANOS - MINÉRIO EXPORTADO POR ARATU


DE  SUMA IMPORTÂNCIA A NOTÍCIA A SEGUIR, NA VERDADE, O QUE SE OBSERVA É QUE OS FATOS DE IMPACTOS POSITIVOS NA ECONOMIA BAIANA TEM SURGIDO UNICAMENTE NO NOSSO "TRADE" PORTUÁRIO, COMO RELATAMOS EM POSTAGENS PASSADAS.

A EXPORTAÇÃO DE MINÉRIO DE FERRO PELO PORTO DE ARATU, CONSOLIDA ESSA UNIDADE COMO O MAIS IMPORTANTE PORTO DE GRANEIS LOCALIZADO ENTRE O TERMINAL DE TUBARÃO NO ESPÍRITO SANTO E O PORTO DE ITAQUI - PONTA DA MADEIRA NA BAÍA DE SÃO MARCOS NO MARANHÃO. 

O MIX DE MOVIMENTAÇÃO DE CARGA DE ARATU NO SENTIDO IMPORTAÇÃO INCLUI DIVERSOS GRANEIS: FERTILIZANTES, CLINKER, CONCENTRADO DE COBRE, ROCHA FOSFÁTICA, MANGANÊS, COQUE, ETC. NO SENTIDO EXPORTAÇÃO, ULTIMAMENTE SÓ  MAGNESITA,  E AGORA MINÉRIO DE FERRO. A RESERVA DE 2,7 BILHÕES DE TONELADAS, SINALIZA UMA VIDA ÚTIL EXTENSA, O QUE PROPORCIONARÁ UMA DEMANDA OPERACIONAL INTERESSANTE PARA ARATU.

NA FOTO ABAIXO,  PORTO DE ARATU, OBSERVA-SE NA EXTREMIDADE DIREITA O ANTIGO PIER DE GRANEIS GASOSOS, HOJE OPERANDO NAFTA PARA BRASKEM, O TGL - TERMINAL DE GRANEIS LÍQUIDOS, COM DOIS BERÇOS, O TGS - TERMINAL DE GRANEIS SÓLIDOS COM O BERÇO SUL E NORTE, E NA EXTREMIDADE ESQUERDA DA IMAGEM, MAIS AO NORTE, O PIER II QUE OPERA GRANEIS, COM APENAS UM BERÇO, MAS NA VERDADE É MULTIUSO, EM PASSADO RECENTE OPEROU MADEIRAS EM TORAS.

                                               PORTO DE ARATU
                                            http://search.babylon.com

A DRAGAGEM PARA 15 METROS, CONSTRUÇÃO DE NOVO PIER OU AMPLIAÇÃO DOS EXISTENTES, JUNTAMENTE COM MELHORIA DOS ACESSOS FERROVIÁRIOS, É UM GRANDE PASSO NA REQUALIFICAÇÃO DO PORTO DE ARATU. NÃO SOU ESPECIALISTA NA ÁREA, MAS ACREDITO QUE NO FUTURO, HAVENDO CONTINUIDADE E AMPLIAÇÃO DOS EMBARQUES, HAVERÁ NECESSIDADE DE DRAGAR  PARA + - 19 METROS, PROPORCIONANDO A OPERAÇÃO DE NAVIOS DE MAIOR DESLOCAMENTO, PARA SE ATINGIR MERCADOS MAIS DISTANTES ONDE O GANHO DE ESCALA SIGNIFICA FRETES ATRATIVOS E MAIOR COMPETITIVIDADE PARA EXPLORAÇÃO DESSA JAZIDA.

A REPORTAGEM NÃO COMENTA SOBRE O TEOR DE MINÉRIO DA MINA,  NEM SOBRE OS MERCADOS QUE SERÃO ALCANÇADOS E QUANDO OCORRERÁ O EMBARQUE PILOTO, SE AINDA NESTE ANO. 

TODA A LOGÍSTICA PORTUÁRIA TERÁ GANHOS COM ESTA OPERAÇÃO, NÃO SÓ O PORTO, MAS TAMBÉM, PRATICAGEM, REBOCADORES, AGÊNCIAS MARÍTIMAS, FORNECEDORES DE NAVIOS, ENTRE OUTROS. A ESTE FATO DE RELEVÂNCIA,  JUNTA-SE O ADITIVO DO TECON, A PARCERIA DESSE MESMO TERMINAL COM A INTERMARÍTIMA, A DRAGAGEM DOS PORTOS DE SALVADOR E ARATU, A CONSTRUÇÃO DO TERCEIRO BERÇO DO PORTO COTEGIPE. 

CONGRATULAÇÕES AO PRESIDENTE DA CODEBA SENHOR JOSÉ MUNIZ REBOUÇAS, E A SUA DIRETORIA, ESPECIALMENTE O ENGENHEIRO RENATO ROCHA, PELA EFICIENTE GESTÃO FRENTE A COMPANHIA, AOS DIRETORES DA INTERMARÍTIMA E DO TECON, AO SENHOR SÉRGIO FRAGA SANTOS FARIA DO CPORT. NÃO ESQUECER, QUE APESAR DOS AVANÇOS MUITO AINDA FALTA A SER REALIZADO: AMPLIAÇÃO DO QUEBRA MAR NORTE, PONTA NORTE, AMPLIAÇÃO DE ARATU.


JOSEMAR




Minério de ferro baiano será exportado por ferrovia



Foto: Ulgo Oliveira
A Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), empresa controlada pela Vale, e a Arc Alfa assinaram ontem (4/8), na Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinfra), o contrato para o transporte de minério de ferro entre a região de Iaçu (BA) para o Porto de Aratu, no litoral baiano. O contrato prevê o transporte de quase 4 milhões de toneladas até 2016.

No ano que vem, devem ser escoados pelo corredor logístico cerca de 360 mil toneladas. Em 2013, o volume deverá ser de 550 mil. A partir de 2014, o montante será de 1 milhão de toneladas anuais. Se fosse feito pelo modal rodoviário, o transporte de 3,9 milhões demanda quase 14,5 mil viagens de caminhão.

Para realizar o transporte do minério, será construído um terminal no município de Iaçu. De lá, a carga segue por cerca de 300 quilômetros de linha férrea até o porto, localizado em Candeias.

"A parceria dará mais competitividade ao minério da Arc Alfa, já que a ferrovia é o meio de transporte ideal para o minério. Temos certeza de que a exportação da carga logo trará impactos positivos na balança comercial da Bahia", afirma o diretor-presidente da FCA, Marcello Spinelli.

"Estamos muito contentes com essa parceria com a FCA e confiantes no potencial da produção da região de Iaçu. Este é apenas o passo inicial. Vamos contribuir muito com o desenvolvimento da Bahia", explica o diretor de Logística da Arc Alfa, Paulo Oliva.

Durante a reunião, o diretor-presidente da FCA, Marcello Spinelli anunciou ao Governo que fará a recomposição da linha férrea do Porto de Aratu e investimentos em torno de R$ 30 milhões.

As reservas da Arc Alfa na região são estimadas em 2,7 bilhões de toneladas de minérios em 87.302 hectares na região central da Bahia. A alta qualidade dos minérios da Arc Alfa, aliada a excelente condição geológica das reservas, irá permitir a produção de três tipos de minérios de ferro: lump ore, hematitinha e sinter feed.

Segundo o vice-governador e secretário estadual de Infraestrutura, Otto Alencar, a Bahia vem investindo muito na área de Infraestrutura. “Com esse acordo irá facilitar o escoamento de minério de ferro. Também estamos lutando para escoar os grãos do Oeste baiano, com a implantação da ferrovia Oeste Leste. Em breve, creio que também estaremos anunciando mais obras para os baianos”, finaliza Otto.
Autor/Fonte: Ascom - Seinfra

Nenhum comentário:

Postar um comentário